Empreendedorismo

Tudo que você precisa saber antes de escolher um sócio

By 9 de março de 2017 No Comments

Se você já se aventurou pelo mundo do empreendedorismo, certamente já notou o quão difícil é montar e administrar um negócio inteiro por conta própria. São muitos detalhes para serem ajustados, desde o contato direto com o cliente até as obrigações legais da empresa.

E para quem não tem o mínimo de experiência ou conhecimento, tais tarefas ficam ainda mais difíceis. Se você sente que está passando por muita dificuldade, talvez seja hora de escolher um sócio para auxiliar em todo o processo.

Claro que esse é um grande passo para a empresa, o que pode ser um pouco perigoso. Sociedades nem sempre geram bons resultados, especialmente quando alguém não emprega a dedicação ou não tem as capacidades corretas.

Para evitar que você caia em certas armadilhas, faça as seguintes perguntas antes de escolher um sócio para a sua empresa:

Seus objetivos estão alinhados?

Duas pessoas só podem trabalhar juntas em um negócio próprio se estão seguindo as mesmas metas. Ou, pelo menos, metas complementares e não excludentes. Certas empresas têm o objetivo de crescer mais a cada ano, enquanto outras apenas pretendem se manter estáveis diante de qualquer abalo econômico.

Caso haja dois gestores com objetivos e valores opostos dentro da companhia, nenhum dos dois alcançará as próprias metas.

Na hora de escolher um sócio, deixe bem claros os objetivos e valores que a companhia deseja reforçar. Se não houver como colaborarem entre si, então a parceria não será bem-sucedida.

A parceria é benéfica para ambos?

Além do fator da cooperação, é importante que ambos os sócios tenham algo a ganhar com a parceria. O benefício mais óbvio seria o sucesso da empresa, que se traduziria em maior renda para os dois, mas pode ir além disso. Uma sociedade pode ajudar a alavancar a carreira de seus membros, reduzir a carga de trabalho, garantir estabilidade, entre outras coisas.

Escolher um sócio que não agregue valor ao seu negócio, ou que seja apenas uma ferramenta para alcançar seus próprios objetivos, não é de muita utilidade. Para que uma parceria funcione em médio e longo prazos, é importante que todos os sócios sejam devidamente recompensados pelos seus investimentos.

O relacionamento entre vocês é saudável?

Entenda por “saudável” uma relação de negócios que, além de beneficiar as partes, não envolve problemas de confiança, suspeitas constantes, etc. Além disso, deve apresentar um canal de comunicação aberto, entre outras coisas similares.

Pense no tipo de relacionamento que seria considerado positivo com um colega de trabalho em uma empresa. Os dois se encarregam de suas responsabilidades e podem confiar um no outro para cumpri-las.

Lembre-se de que, para escolher um sócio, é importante que a confiança seja mútua. Caso uma das partes não considere a outra como sua parceira, é provável que os desentendimentos e desconfianças sigam, aos poucos, desgastando o próprio negócio.

Vocês diferem na medida certa?

Ao buscar um parceiro de negócios, é importante que você entenda suas próprias qualidades e defeitos, para procurar alguém que preencha essas lacunas. Escolher um sócio que tenha exatamente as mesmas qualidades e formas de pensamento que você não agregará tanto valor quanto o contraste em formas de agir e entender o mundo à sua volta.

Claro que ainda é importante que os dois possuam objetivos alinhados. A questão aqui é que podem existir pequenas divergências de métodos, desde que os dois consigam coordenar esforços e encontrar um meio termo. Como terão habilidades diferentes, pode ser que um tenha maior peso em determinadas decisões do que o outro.

Vocês possuem afinidade?

Uma sociedade não é como uma relação de amizade ou fraternidade, mas nem por isso a intimidade entre os sócios deve ser restringida. Pessoas que conseguem se dar bem em nível pessoal tanto quanto em nível profissional têm maiores chances de obter uma parceria de sucesso.

Escolher um sócio entre seus amigos ou familiares não é necessariamente um problema, desde que ambos entendam a diferença entre as duas esferas.

Além disso, se você não vê afinidade com o seu sócio, provavelmente terá problemas de comunicação, perderá algumas oportunidades e, em casos mais sérios, isso se desenvolverá em desconfiança. Por isso, tente trabalhar o bom relacionamento também no nível pessoal.

Existe proatividade?

Se você já esteve em qualquer entrevista de emprego, sabe que proatividade é uma qualidade muito importante em quase todo meio empresarial. E escolher um sócio proativo também agrega muito à empresa.

Afinal, se um dos lados da companhia não se sente seguro para tomar atitudes próprias, ou simplesmente não as toma por opção, você terá mais um funcionário para administrar, não um parceiro.

Antes de fechar uma sociedade completa, lembre-se de verificar se a atuação do seu futuro parceiro é eficiente, proativa e profissional. Qualquer problema ocorrido no meio do caminho será muito mais difícil de resolver do que prevenir.

Como ele pretende investir no negócio?

Esse é um ponto muito importante. Ao escolher um sócio, é importante que ele agregue valor ao seu produto, à sua administração, à empresa de forma geral. Conhecimento, experiência e talento são alguns fatores que podem determinar a qualidade de uma parceria. Investimento financeiro direto não é tão necessário quanto pode parecer, já que todos podem se beneficiar no médio e longo prazo.

Nesse momento, avalie a proposta de seu possível sócio, veja se as ideias dele possuem um bom embasamento e quais são suas qualidades e defeitos. Lembre-se de que ele deve contribuir com algo novo para a empresa, como um membro ativo da gestão, não como mais um funcionário que aguarda ordens.

As responsabilidades serão divididas da mesma forma que o sucesso?

Por fim, é bom escolher um sócio que saiba compartilhar tanto o ônus quanto o bônus. Uma divisão incorreta das responsabilidades e dos resultados, além de injusta, é prejudicial para a empresa, já que uma das partes receberá sem cumprir o mesmo grau de responsabilidade que a outra.

Talvez essa pergunta só possa ser respondida durante a parceria, mas é bom mantê-la em mente até que você tenha a resposta.

Agora que você já sabe em que pensar antes de escolher um sócio, é hora de buscar alguém que ajude a alavancar seus negócios. Quer continuar acompanhando o blog? Então assine nossa newsletter e fique sempre por dentro de nossos melhores conteúdos!

Leave a Reply